Você sabia que o melhor detox está dentro de você?

o melhor detox

Geralmente recorremos a sucos detox, quando na verdade, o melhor detox está dentro de nós mesmos, basta criar condições, para que o mesmo execute seu papel. O nome desse órgão responsável é intestino.

É nele que ocorre a absorção de nutrientes provenientes da sua alimentação e, por meio das fezes, as toxinas são eliminadas. Para isso, esse órgão conta com diversos micro organismos benéficos, chamados de probióticos, responsáveis pelo impedimento do crescimento das bactérias que causam doenças e aumentam as toxinas no corpo. Por meio das fibras que consumimos, conhecidos como prebióticos, consegue-se fortalecer essas bactérias boas, fazendo com que o intestino funcione como uma barreira contra o crescimento de micro organismos nocivos à saúde.

Para o melhor funcionamento, é necessário ingerir fibras, as mesmas são divididas em dois tipos: As solúveis, que promovem saciedade, reduzem o colesterol ruim e controlam o açúcar no sangue, e as insolúveis, que aumentam o tamanho das fezes, fazendo com que elimine-se o que não é utilizável de forma benéfica ao corpo.

Fibras são grande aliadas do funcionamento do intestino
Fibras são grande aliadas do funcionamento do intestino

O intestino também é responsável por 90% da produção da serotonina, um neurotransmissor responsável pelo humor, sono e apetite. Há estudos que comprovam que o bom funcionamento do intestino está ligado ao bem estar e bom humor.

Mas como eu sei que tenho disbiose intestinal? Isto é, um intestino não equilibrado.

Se você apresenta casos frequentes de flatulência, distensão abdominal, diarreia e constipação, conhecida como intestino preso, são sinais de disbiose. Nos dias de hoje manter a saúde intestinal acaba sendo um desafio, por conta do estresse diário, má alimentação e uso excessivo de medicamentos. Sabe-se que o estresse tem impacto direto no intestino, desequilibrando suas funções.

O indicado é sempre tentar controlar os impactos causados ao nosso corpo por estímulos externos, como por exemplo praticar atividade física, manter uma boa alimentação, rica em frutas, verduras e legumes, além de ser essencial o fato de manter uma boa ingestão de água diária.

Aqui vão algumas dicas de ingestão alimentares para recuperação do funcionamento intestinal:

· Verduras — rúcula, couve, agrião, espinafre, brócolis

· Legumes — Cenoura, beterraba, pimentão

· Frutas — Maçã, pêra, ameixa, maga, laranja, abacate

· Grão integrais — Aveia, farelo de trigo, arroz integral, macarrão integral, granola, chia e linhaça.

· Leguminosas — Feijão, lentilha, grão de bico

· Cacau, vinho tinto, brócolis, cebolas, amêndoas — Riscos em polifenóis

· Alimentos fermentados (probióticos) — Iogurte natural , Kefir, chucrute

Você sabe o que é chucrute?

É um prato da cozinha alemã, preparado com repolho picado e ferventado em salmoura. Deixa-se fermentar e durante a fermentação lática, ocorre o desenvolvimento de probióticos (bactérias benéficas), que ao serem consumidas, promoverão benefícios.

Chucrute alemão
Chucrute alemão

Para o chucrute > Vai precisar de repolho roxo ou branco e temperos à gosto.

1. Retire as folhas de fora do repolho, higienize, seque e corte as de dentro.

2. Deixe o repolho fervendo na água por cerca de 1 minuto.

3. Escorra e reserve até que o repolho esfrie.

4. Em uma tigela grande coloque o repolho, jogue sal por cima e misture tudo com as mãos, amassando tudo.

5. Depois de cerca de 10 minutos, acrescente os temperos.

6. Refaça o processo de amassar.

7. Coloque o produto final em um vidro. Ele deve ficar repousando em um local escuro por cerca de 3 dias.

8. Após esse tempo ele estará pronto para ser servido

Você sabe o que é kefir?

Kefir é um leite fermentado, ácido, produzido artesanalmente a partir de grãos que contêm uma população relativamente estável de micro organismos benéficos a saúde intestinal.

Kefir
Kefir

Kefir feito de leite:

Passo 1 — Para preparar o kefir de leite caseiro precisará conseguir alguns grãos de kefir, sem importar a quantidade, pois ao serem conservados adequadamente, crescem. Coloque em um pote de vidro ou plástico. É muito importante que os utensílios de cozinha usados não sejam de metal nem alumínio, pois danificariam as propriedades do fungo.

Passo 2 — Agora, acrescente o leite (é importante que esteja à temperatura ambiente). Pode ser integral, semidesnatado ou de soja, como preferir, mas recomendamos que não seja desnatado. Em função da quantidade de grãos adicionados deverá colocar mais ou menos leite, mas geralmente, deve-se encher até a metade ou 3/4 do pote.

Passo 3 — Quando tiver adicionado o leite, você deverá tampar o pote com um pano limpo e não com a sua respectiva tampa. Por que um pano? Porque a tampa não deixa passar nada de ar e azeda ainda mais o kefir de leite. Guarde em um lugar escuro e deixe repousar durante 24 horas. Não guarde na geladeira, pois o processo de fermentação não se produz no frio.

Passo 4 — Depois de 24 horas, pegue o pote e coe o leite. Lembre-se que a peneira não pode ser metálica. Com a ajuda de uma espátula (de plástico ou similar), remova o fungo para poder peneirar bem e extrair todo o líquido. O líquido extraído é o kefir de leite, portanto deverá colocá-lo em outro pote de vidro.

Passo 5 — Quando tiver peneirado tudo já terá sua bebida de kefir de leite.Como você pode ver, é similar a um iogurte líquido mas seu sabor pode parecer um tanto azedo, por isso pode adicionar um par de colheres de sopa de açúcar ou canela. Se quiser que pegue um pouco mais de consistência, pode deixar algumas horas na geladeira.

Passo 6 — Quanto ao resto de grãos de kefir, repetiremos o mesmo processo com leite novo. Assim conservaremos os grãos e conseguiremos que eles cresçam. Conforme cresçam deverá aumentar a quantidade de leite, até chegar o momento de dividi-los porque será muito para um só pote.

Por: Camila Machado, estudante de nutrição na PUC/PR
Revisão e supervisão: Nutricionista Ney Felipe, CRN/PR 84085

REFERÊNCIAS:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3577372/

A importância dos probióticos na microbiota intestinal humana — http://www.sbnpe.com.br/wp-content/uploads/2016/12/artigo-8-4-2014.pdf

https://www.healthline.com/nutrition/improve-gut-bacteria

Propriedades antimicrobianas do kefir — http://www.scielo.br/pdf/aib/v83/1808-1657-aib-83-e0762013.pdf

Probióticos e prebióticos: o estado da arte — http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-93322006000100002

O EIXO INTESTINO-CÉREBRO E O PAPEL DA SEROTONINA — http://revistas.unipar.br/index.php/saude/article/download/5156/2982

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.